Categorias
Sem categoria

caraleo

Fazia tempo que não tinha a cara enfiada no teclado. Acordou meio assustada, pés congelados e um TGHYJUKILO na bochecha esquerda. Caraleo, pensou a guria, são quatro e meia da madrugada mais fria e eu ando sem meias. Caminhou até o sofá, derramou a garrafa de vinho, soltou mais um caraleo, se embrulhou em algum casaco e dormiu até agora.

Acordou de novo. Sol na cara. Meias-sujas-embriagadas. Cinzas. Livros. Meio-artigo. Meia-mochila-de-viagem. Meia-manhã. Caraleo, disse a moça de novo, feliz com o sucesso da festinha dela mesma. Caraleo dizia enquanto vestia a primeira roupa e se preparava pra sexta de quarta!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s