Categorias
Sem categoria

querido diário II

Novamente sinto como se tivesse com cerejas na pontas dos dedos.

Boa nova: não estou com reumatismo, nem com diabets, aliás, o meu sangue só tem 12% de elementos ruins. A única coisa que não anda bem é a tire-ó-ide. Mas isso resolverei assim que chegar o dia 26 de novembro.

Saiu a marca do contador. Vai ter dourado com direito a carimbo em parafina e tudo! chick.

Amanhã é sexta, de novo! Na outra sexta tem acampamento, eba! E na outra sexta vou pra capital das coisas bacanas. E quem sabe, na outra sexta, vamos pra floripitz ajudar a Paula com o seu emprego temporário. =)

Tantos planes, tantos planes hechos espuma… u-hu. Saudade de ouvir Drexler.
Fico nervosa quando as pessoas escrevem “saudades”, mas nunca falei isso pra ninguém. É o mesmo que dizer: “to com amores”, “to com odios”, entenderam? Saudade é um sentimento singular. Ok?

As aulas de inglês me surpreendem cada dia mais. E ter aulas de inglês com uma professora formada em artes cênicas é tudo o que eu pderia querer. Vocês precisam ouvir o que ela me contou sobre shakespeare, aquele safadinho. Eu não vou contar porque ainda não consigo pronunciar nem o “saw” de uma maneira elegantemente britânica.

Categorias
Sem categoria

18:20


Lisca! Não se encha de objetos!

– – –
Como to cansada. Deveria ter aceitado o taxi, o ônibus veio quase 10h. Não tenho nem cinco reais na carteira. Não tenho tempo de ir ao banco. O limite do cartão morreu fazem dias. Lá se vão todas as economias que não tenho novamente na antiga precipitação: passo fundo. Precipitada do começo ao final. Saco. Pintura. Multa. Recisão. De verdade, tão logo e já eu não vou morar sozinha.

– – –
Mas o filme foi bem bonito, nó na goela, situação. Eu fui meio boba. Acho que é o sono. Tô largada demais. Queria um dia de autopaparicagem, sabe? Cabelinhos. Unhas. Pernas. Livros. Revistas. Drinques doces. Brincadeiras. Cafunés. Ai ai. Colo de mãe. Chorar de cansaço mesmo. Implorando uma massagem, até dessas que não são terapêuticas mas estão ali pra dizer: força na peruca, garota, ó minha mão pra ti aqui ó. E daí apalpa a nuca e dá um abraço de ninar.

– – –
Recém é quarta. Já é quarta? Nossa. Logo logo é dia de aniversário e logo logo é dia de aniversário em Porto Alegre, com Bienal, Feira do Livro e um super seminário de cultura midiática. Bonitinha. Tomara que nenhum catálogo me prenda por aqui. hehehe.

– – –
Tin-tin!

Categorias
Sem categoria

03:43 – outro dia

não, ainda não dormi (44 horas acordadíssima). to escrevendo deitada na cama, com os cotovelos apoiados no travesseiro e umas quantas (hj me recusei a contar) cervejocas na cabeça. joca, agito capilar, salada mística, folheto que foi, folheto que voltou, cantadas em cartões, risadas, toneladas, camiseta de marinheira, me sentindosujeedeunharuinsecabeloencebadoesem perfume pouca mulher. nao quero mais sair assim sujinho, depois de mais de 30 horas trabalhando.

ah, mas foi muito bacana 🙂
nao consigo escrever mais.

hemos de encontrar um dia, alguém que nos faça bem, hemos.

Categorias
Sem categoria

clientices

Sabe porquê eu gosto tanto de filantropia? Porque os clientes são bacanas.
Toda a saga desta madrugada classificadística resumida nisso: se for pra entregar qualquer coisa, nem entregue.

No meu primeiro tempo livre farei camisetas do tipo: odeio clientes burros. claro que só vou poder usar pra dormir ou fazer atividades solitárias, mas que vão ficar lindas e vou me sentir ótima, vou.

Aí lembrei de alguma coisa que algum desses publicitários ali do sudeste disse uma vez: temos três tipos de clientes: os bacanas com dinheiro, os chatos com dinheiro e os bacanas sem dinheiro. Pq diabos ter uma quarta espécie? hehehe…

– – –

ok. ok.
são só as mais de 30 horas acordadinha e a montoeira de café. puff.

Categorias
Sem categoria

paranóica

11:18
não sei se foi o vestido estampado por cima das calças ou os cabelos amassados em castanho caju, mas tive a sensação de que todo mundo me olhava na rua enquanto eu vinha sonolenta pra agência. todos, aham.

– – –

eu gosto tanto da parte de montar os leiautes pra apresentação. me dou bem com o estilete e as colas em bastão, spray e pinceladas. poderia fazer isso o dia todo, sou tri caprichosinha. =)

Categorias
Sem categoria

duzentina

07:38
Tomei café com o pai e com a mãe. Há décadas não acondecia isso. Bem bonito, contei sobre o catálogo, o tudo que perdi, o problema do cliente, o drama das 99 dicas para o natal. Não entenderam, acho. Disseram que eu preciso dormir. Também acho.
Sabem o quê? Hora de tomar outro banho e ir trabalhar.

=)
tudo pelos dinheiros. nhém nhém. Lisca! Não se encha de objetos!

Categorias
Sem categoria

06:17
deu pau no arquivo

e sabe o quê? a última cópia de segurança tinha sido às 3h.

Categorias
Sem categoria

05:30
já não acho mais graça
muita dor na nuca, muita muita

olhem as abreviações: Apto 03 D, ste, 02 sac, chur, serv, dep, gar p 02 car, sal festas, 03wc, próx. ig. dores. R$ 150.000,00

Agora imaginem uns 160 destes em quadradinhos coloridos afastados 2mm um do outro com o preço sublinhado como se fosse marca textos, alguns com fotos presas como se fossem percevejos, e etquetas indicando: novo, alugado, venda, troco por carro popular.

=(
me convida pra um café!

Categorias
Sem categoria

04:40
paradinha pro café. só faltam duas páginas pra fechar o super-catá-logo-ráitéqui.
doce de uva com queijo.

ninguém pra conversar. tanto ar pra respirar. e a minha cama fofa sorrindo do lado. ai ai…
reumatismo aposenta? se eu pudesse ter, tentaria perder.

agora é tarde demais.

– – –
sabe o quê? o-oi… lisca! não se encha de objetos.

Categorias
Sem categoria

03:57
o catálogo vai bem e ouvindo Ludov lembrei de dizer que eu notei que faltava um pouco faltava amor naqueles corpos. pena que eu não podia dar, senão ia faltar em mim também. faltava um pouco de luz nos olhos, sabe? eu vi.