Categorias
Sem categoria

Resumen Findesemanal

Fim de semana da fiaca, como dizem por aqui. Depois de uma sexta-feira atípica – chegando pra trabalhar uma hora antes por uma leve confusão cronológica e inusual disfunção hormonal – o sábado e o domingo foram da cama para o sofá e do sofá para a cama. Ontem eu li vários contos, alguns do Borges, fazia tempo. Descobri que do lado esquerdo da minha cama, entre o janelão e a cama, tem espaço perfeito pra um corpo, um travesseiro e um livro, e, se abrir a janela, fico como se o corpo estivesse flutuando, não fossem as grades a gente caía. Enfim, descobri um bom lugar para ler dentro do meu próprio quarto e ocupei-o bastante entre o sábado e domingo. Teve festinhas de aniversário e uma celebração social ontem à noite onde escutei casos absurdos de pessoas que não tiveram êxito com sexo anal – teve um casal que foi parar no hospital de perrito, como dizem por aqui. Achei engraçado e não fiquei curiosa. Depois ficamos até seis da manhã de pijamas conversando sobre cirurgias plásticas, tirar peitos, colocar peitos e blah. Também falamos de maquiagem, descobri uma Base Foundation da Vichy que rejuvenesce uns 4 anos!

Nada mais. Queria deixar um beijo pro meu irmão que está de aniversário hoje e não atendeu o telefone em nenhuma das 17 vezes que tentei ligar. Eu te amo igual.
Fica uma parte bonita das partes bonitas do Borges 😉

Yo no hablo de venganzas ni de perdones; el olvido es la única venganza y el único perdón”- Jorge Luís Borges

Categorias
Sem categoria

Senhoras e Senhores

Muito boa noite.
Estou aqui, porque cheguei.
Não digo nada, porque eu não sei.
Eu vim de ônibus, porque eu paguei.

Tenho dito.

Categorias
Sem categoria

Por que você se leva tão a sério?

Tudo é tão correto pra você. Não vejo mal algum em se incomodar, mas tire proveito e faça direito o que lhe couber. É quase nada, para mim ainda é um mistério. É tão somemente alguma fase-errada. Por que você se leva tão a sério?

_

E no seu apartamento, ela se esquecia de tudo. Não havia contratempo. Ela segurava o seu coração e largava as roupas pelo chão. A semana toda ficou para trás, ela tem trabalhado demais. Como seria melhor se não houvesse refrão, mas há.

Ludov incentivando os pensamentos mulherzinha.

Categorias
Sem categoria

Segunda-feira 13

Oh freedom is mine
And I know how I feel

Recém é segunda. Chove e faz frio. Amanhã é dia de pagar o aluguel – em dólares. Foi uma segunda produtiva. Projetos aprovados. Nenhum desespero. Tudo certinho. Assisti um filme antes de escrever aqui. Antes de assistir o filme jantei queném pessoa organizada. Cheguei a revisar a agenda. Chequei se está tudo certinho, pela milhonésima vez, pro nascimento daquelo que foi o projeto onde mais dediquei tempo e carinho nesse meu trabalho. Eu gosto desse meu trabalho, sabe? Mas eu ando cansada, acho que preciso dar mais atenção pro meu corpo, mais atividades físicas, mais horinhas de sono, mais água e mais carinho. Pedi dois dias de férias e comprei passagens pra casa. Casa. Comprei passagens pra casa dos meus pais. Pra apertar os meus amigos. Pra brincar com a cã. Pra comprar livros na Cesma. Pra ver o sobrinho correr. Pra comer churrasco com salsichão de verdade. Pra comer maçã argentina que só tem no Brasil.
Categorias
Sem categoria

Bloqueio

Antes era mais fácil escrever aqui no Tramela. Agora parece que nada pode. Comecei quatro posts hoje, não terminei nenhum. Parece que as letrinhas vão formando palavras cada vez mais privadas. Parece que vamos construindo segredos pra nós mesmas. Parece que fica tudo mais sério e complicado, e que nenhum comentário poderá nos salvar.

Deve ser só a falta de hábito.

Porque já não temos mais idade para, dramaticamente, usarmos palavras grandiloqüentes como “sempre” ou “nunca”. Ninguém sabe como, mas aos poucos fomos aprendendo sobre a continuidade da vida, das pessoas e das coisas. Já não tentamos o suicidio nem cometemos gestos tresloucados. Alguns, sim – nós, não. Contidamente, continuamos. E substituimos expressões fatais como “não resistirei” por outras mais mansas, como “sei que vai passar”. Esse o nosso jeito de continuar, o mais eficiente e também o mais cômodo, porque não implica em decisões, apenas em paciência. Caio F.

Categorias
Sem categoria

Trameleiros, voltamos!

Já não tava mais suportando a saudade do tramela e como o blogger resolveu ser bacana e colocar umas ferramentas mais divertidas, voltamos sem titubear :).

Desculpem por ter fechado as portinhas sem avisar, o tramela foi vítima de um ataque de nervos envolvendo domínios desaparecidos e escoriações de desenho, mas acredito que agora está tudo bem. Boa noite! Tou faceira!

Categorias
Sem categoria

Passado do Presente não Indicativo


a cidade passando rápido pela janela embaçada do taxi e a moça com um baita motivo pra dar uma choradinha. respirou funto e apertou os olhos: nenhuma lágrima. que “choto”, pensou: nenhuma lágrima e tanto pensamento. apertou os olhos no intento de obrigar uma lágrima a descer pelas bochechas congeladas: negativo. esfregou os olhos, acomodou as mãos frias no casaco e pensou outra vez que a cidade passava rápido demais pela janela embaçada do taxi.

e você não teve olhos para ver que o parque era você a água você a névoa você a madrugada você as flores você os canteiros você o cimento você não teve mãos para mim só aquela ternura distraída a mesma.

Categorias
Sem categoria

Twitter Borracho

Fez tudo errado. Fiz. Fitas coloridas pelas árvores da cidade. Amargo para alguns dias. Não deixei saudade. Estranho isso, né? Conversas sobre vizinhos. Vinho barato. Deixa entra na sua vida e bagunçar o calendário. Deixa ir embora. Abre as janelas e muda a cama de lugar. Muda de cidade. Muda a cor do cabelo. Zen que vira Sem. Todos os pedaços no mesmo pote lacrado. Todas as músicas jamais compostas foram para: 

Morcegos no estômago. Beba leite com laranja-azul. Beijos.
Categorias
Sem categoria

Intimidades

Às vezes fico com saudade de contar alguma intimidade aqui no Tramela. Hoje tive a conversa mais longa da minha vida com meu pai por telefone: três minutos e meio. Foi bom. Depois comi doce e ele foi no circo.

Categorias
Sem categoria

Buenos Aires Alterada


Há 20 dias, numa quarta-feira comum, eu tinha o emprego mais legal do mundo, a casa mais completa que eu poderia ter encontrado, era estudante do mestrado mais divertido das Américas e estava de rolinho gostoso com um Argentino. Nesse dia aconteceram três coisas importantes:

  • Mamãe me enviou dinheiros porque os meus tinham acabado;
  • Entre todos os e-mails diários, havia uma proposta de trabalho;
  • Dormi enquanto o rolinho falava.

Hoje é um domingo incomum e nos últimos 20 dias aconteceram muitas coisas importantes:

  • No emprego mais legal do mundo, mencionado acima, descobri pessoas “increiblemente copadas” e me despedi com o coração apertado;
  • No mestrado mais divertido das Américas descobri que gosto, really really, de saber mais sobre Arte;
  • Mamãe ficou feliz em saber que já não vou precisar do seus dinheiros;
  • O rolinho terminou.

Amanhã teremos uma segunda-feira diferente: ocuparei um espaço na sala cool do segundo emprego mais legal do mundo; ainda serei estudante do mestrado mais divertido das Américas – porém mais aplicada; não terei para quem enviar mensagens expressando minha alegria; plantarei muitas sementes nas minhas mini gramas e esparerei colher muitos mini-ouros. A partir de amanhã, meu lugar é aqui.